segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

O fim do mundo aconteceu!

Quem diria! Os Maias realmente estavam certos. O fim do mundo, como anunciado, aconteceu. Chegou ao fim este mundo como conhecemos, onde as instituições são mais importantes do que as pessoas, onde a imagem que você passa é mais importante do que você realmente é. Muitos dizem que deveria ter acabado mesmo. Afinal, tava podre. Ora, num mundo em que as religiões são usadas como massa de manobra social e política, contendo as revoluções contra o capitalismo com a mensagem "aceite sua cruz", de fato não era lá um mundo tão bom.

E os bancos? E o mercado financeiro? Uma massa disforme, feita de ouro e petróleo, que se move já sem controle dos seus criadores, gerando crises, suicídios, violência e pobreza. Alguns poucos montavam em cima dela, felizes sentindo o vento no rosto, e evitando olhar para a massa abaixo. Mas a fera era instável como um touro, sacodindo suas costas derrubando alguns no chão. À sociedade restava aplaudir os que conseguiram sair da lama e subir na besta. Eram os exemplos, os vencedores. Os novos peões, limpos da lama do chão, que iriam aproveitar sua estada nas costas da besta. Ufa! Ainda bem que isso acabou também.

Afinal, se não acabasse agora, já já ia acabar de vez mesmo, por conta da escassez de recursos naturais do planeta. Afinal, como diria o filósofo e agente Smith, os seres humanos perderam a simbiose com a natureza, e estava se comportando como vírus, exaurindo os recursos de uma área para procurar outras. O egoismo, comodismo, a hipocrisia e a preguiça coletiva humana já tinham marcado o fim do mundo. Os maias deveriam ter predito isso também.

Ainda bem que esse mundo se acabou! Tava na hora. Aqui do meu bunker caseiro escrevo essa mensagem, enquanto aguardo a fumaça e poeira baixarem. Para assim poder sair, olhar para o sol, para minha família e para meus vizinhos e poder viver essa nova vida. Onde não serei julgado pelo que tenho ou o que visto, mas pelo que penso e o que faço pelo coletivo. Onde posso, junto com outros, criar novos mecanismos de desenvolvimento que olhem para o ser humano e para a terra, e não para o dinheiro e os juros.

Um novo mundo começou para mim. E pode começara para você, se você fizer a sua parte. Agradeço antecipadamente o esforço.

Um comentário:

  1. Estava eu lendo tuas coisas que contém o tag "Sentido da Vida". Logo me lembrei de Viktor E. Frankl e o seu livro "Um sentido para a vida". Frankl é um psiquiatra e psicólogo austríaco, contemporâneo de Freud. Criou um método de tratamento psicológico denominado "logoterapia". Ele esteve preso em vários campos de concentração, inclusive Auschwitz. Foi no cativeiro que ele desenvolveu seu pensamento sobre a natureza humana e o sentido que buscamos para a nossa vida. Acredito que você e Max iriam gostar da leitura. Abraço!

    ResponderExcluir

Você é responsável pelo que posta. Com um grande poder vêm grandes responsabilidades. Mesmo assim qualquer material ofensivo, ilegal ou comercial será apagado.