segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Por que há vida fora da Terra?


Lembro de uma das minhas (inúmeras) frustrações escolares aconteceu na áula de ciências da 2ª ou 3ª série: Estavamos aprendendo os 9 planetas (na época ainda eram nove!). Pra mim não era tão novidade assim, porque em casa eu vivia fuçando 4 livros marrom-escuros de uma série lá conhecer (eu acho). Um deles era sobre o Sistema Solar e outro era sobre o Universo.

Pobre tia Gláucia! Provavelmente ela não tinha muito interesse na matéria que era dada para seus alunos. Provavelmente ela só tinha lido sobre àqueles 9 nomes nos nossos livros de ensino fundamental. Foi por isso que ela me trouxe uma de minhas primeiras frustrações científicas: "-Então crianças, quantos planetas existem?" "-NOVE!" falou a turma. E eu perguntei "- Mas tia Gláucia, nove somente no nosso sistema solar, né?" E ela retrucou "-Não... só existem nove planetas mesmo!".

Muito foda quando a escola desconstroi o conhecimento do aluno. Desconstroi mesmo! Eu tinha adquirido àquele conhecimento sozinho, munido apenas de uma boa biblioteca (que tenho orgulho de dizer que sempre tive em casa) e de muita curiosidade!

Vou dar um mini-crédito à tia Gláucia, porque essa conversa toda ocorreu lá em 1988, e somente em 1989 foi encontrado indícios do primeiro exoplaneta. A popularidade do assunto levou mais 10 anos para acontecer. Mas afinal, qual foi o erro da minha professora de primário? O erro dela foi de rechaçar imediatamente o pensamento dos seus alunos, e de não filosofar sobre este! Ela não é a dona da verdade, então no mínimo não poderia afirmar nada! O tempo foi o juiz do meu pensamento, e hoje os exoplanetas são um fato tão corriqueiro que alguém podeira pensar: Mas era lógico que existissem! É... nem sempre a lógica foi usada por todos.

(não consigo deixar de pensar em uma aluna minha que ontem perguntou se a maioridade das mulheres era aos 22 anos! Por Theos?! O que andaram falando para essa garota?!)

O Sol é uma estrela. E ao redor dele giram 8 corpos maiores, dotados de atmosfera, os quais chamamos de planetas. Além dos planetas vários outros corpos celestes giram ao redor do sol. Sem contar as luas, que orbitam os planetas.
Cada ponto luminoso de uma noite estrelada é (no mínimo) uma estrela. E em cada estrela é esperado (por derivação lógica) que existam dezenas de corpos celestes como os planetas. O número de estrelas visíveis a olho nú no céu é em torno de 8 mil. Se cada uma delas tiver 8 planetas (como nosso Sol), temos ai 64 mil planetas para investigar por vida. Sem contar as luas! Sim, as luas podem também abrigar vida! Existem muitas apostas de que em Europa, lua de Jupter, haja vida em seus oceanos líquidos já detectados.

E a situação vai além: A maioria das estrelas do universo não podem ser vistas a olho nú. Se pudessemos ver todas essas estrelas, o céu seria branco, completamente preenchido de estrelas a noite! É muita... muita estrela pra pesquisar!


O universo é algo grande demais...


O que a massa humana não entende (nem desenhando!) é que o universo é algo grande demais. Mas grande meeesmo! É tão grande que os tamanhos e distâncias não são concebidos por todos. Estamos acostumados com as escalas dos livros didáticos, que mostram na largura de uma folha A4 todo o sistema solar lado a lado, o que é uma grande falsidade. Eu imaginava que deveriam fazer uma praça pública em que mostrasse ao povo essas distâncias: Tipo, se uma praça no centro da cidade tiver uma maquete do sol do tamanho de uma bola de basquete, a terra estaria a 22 metros do sol, e teria 2 milímetros! Jupter teria o tamanho de uma uva, e estaria a 120 metros do Sol. Plutão teria a largura de um fio de cabelo, e estaria 8 quadras distante da tal praça do sistema solar! A estrela mais próxima do Sol estaria a mais de 6 quilômetros de distância (Eu, de sacanagem, colocaria uma plaquinha assim: Para ver a estrela mais próxima, pegue o ônibus 31-B.Melo e desça no bairro tereréu!).

A questão do espaço ser enorme abre muitas possibilidades. E de certa forma expica porque ainda não detectamos outros seres vivos afora. Pretendo falar mais sobre o fenômeno OVNI e os impactos da vida extraterrestre, mas em outro post.

Um comentário:

  1. Waaaw!!!
    Adorei a tua ideia do sistema solar em público e em proporção!
    :-)
    Aproveite sua fluência, conhecimento e praticidade no assunto e explique-nos:
    1) o Big Bang (e as atuais correntes alternativas/opositoras)
    2) buraco negro

    P.S.: esse post não aparece na pág. principal do blog. Só o encontrei devido o link no psicotrópica)

    ResponderExcluir

Você é responsável pelo que posta. Com um grande poder vêm grandes responsabilidades. Mesmo assim qualquer material ofensivo, ilegal ou comercial será apagado.