terça-feira, 24 de agosto de 2010

Nesse mundo, tudo é cópia. Incluindo eu e você!

Bebês e crianças menores são máquinas de copiar. Copiam tudo que vêem, falam, etc. Grandes sucessos youtubeanos são basicamente bebês e crianças que dançam suingueira, contam histórias ou fazem pregações a lá adultos.

Beleza, quando você tem menos de 8 anos, basicamente o que você tem que fazer é comer, cagar e copiar mesmo! Então você vê uma gracinha que seu pai fez e você imita. Como todo mundo presta atenção em você, isso reforça o comportamento e logo todos estarão pedindo para você fazer o tal mungango. Qualquer Beyonce* da tv vira referência, e se você fizer direito, terá não só a atenção de todo mundo no Natal como de muita gente pelo youtube! Se você vê um adulto falando palavrão, a mesma coisa: A criança não sabe o significado do palavrão, e imita porque é do cerne dela imitar.

Então a criança passa pela aborrecência adolescência e entende: "Ah, não sou mais criança! Não vou mais imitar mamãe, papai, vovó! Vou para meu grupo, porque lá sou reconhecido!" E ele vai virar emo, roqueiro, gospel e outras modinhas mais. Buscando se diferenciar, o adolescente copia outros de seu grupo e vira parte da massa homogênea de sua idade.

A adolescência estendida (dos 18 aos 28 anos) chega, e finalmente o ser humano entende que estava a copiar os outros! Ou acha que entende! Passa a então a participar dos grupos sociais universitários, gangues de bairro ou grupos organizados:
  • Universitários: Passam a freqüentar sempre os mesmos cantos (bares, boates, forrós, reggaes). Exageram na bebida em grupo. Experimentam drogas para não serem caretas.
  • Gangues: Entram em grupos de pixação e vandalismo. Experimentam drogas em grupo. Bebedeiras e danças ao som de ídolos da época (!?).
  • Grupos organizados: Freqüentam reuniões bandeiristas por uma causa (socialismo, marxismo), ou vão a estádios torcer por cores e desenhos em camisas.
Mal sabem eles que ainda estão copiando! O ser humano é um ser social, logo precisa copiar sua sociedade para ser aceito. Ele precisa se encaixar em algum lugar, e a cópia de palavras, idéias, ideologias e tradições é o que a grande maioria da população faz. E o rumo do ser humano médio após seus 30 anos é o mesmo: filhos, responsabilidades, conflitos, sonhos esmagados, acordar para a realidade, saudosismo, análise positiva dos seus anos de criança e negativa de seus atos como adolescente, envelhecimento rancoroso com o futuro, etc. Não é a toa que os tempos de criança de todo mundo sempre serão melhores que os atuais ou futuros. Isso é uma cópia de mentalidade. E para provavelmente 99,9% dos seres humanos, você sempre será uma cópia mal feita de seus pais + sua sociedade.

Mas você não entende seus pais... Você culpa seus pais por tudo. Isso é absurdo. São crianças como você. O que você vai ser quando você crescer?
PAIS E FILHOS - Legião Urbana

Não há palavra que nunca foi dita

Você acha que por parecer diferente dos seus pais você é diferente, mas você é uma cópia. Você acha que por ter sempre papos interessantes você é diferente, mas você é uma cópia. Você acha que por ter terminado um doutorado (primeiro nível que você tem autoridade de de fato pensar em algo novo) e ter feito uma tese, que você é diferente, mas você é uma cópia. A questão é: cópia de quem?!

Ser cópia não é um problema grande. Replicar o pensamento de grandes personalidades como Ghandi, Darwin, Jesus, Einstein, Platão, Marx, Saramago, Pica-pau ("Vudu é pra jacú") é algo positivo. Simboliza que você usou da sua razão, formulou uma colagem de idéias que vieram de sua condição familiar e social com as idéias desses pensadores e validou aquilo como positivo. Mas mais uma vez: sua razão foi usada na simples análise de coisas que lhe são postas. Avaliando como positivas, você às replica!

Pior mesmo é quando você copia coisas em que nem mesmo a razão concebe! Ou quando copia estereótipos como os mundialmente famosos:
  • Estereótipo Macho Man: Homem não chora, é forte, pega mulher, come todas, é nojento e não tá nem ai para os outros.
  • Estereótipo Femme Fatale: Mulheres com um charme esnobe, que não ligam para o homem comum, dificultam ao máximo as investidas masculinas, e por conta disso acabam muitas vezes sozinhas a noite chorando por não entender porque não conseguem companhia.
  • Estereótipo Bicha Louca: É o que diz que todo gay usa rosa (Brasil) ou arco-iris (mundo), que é divertido, grita muito, rebola e remexe, e adora uma sacanagem grupal. Graças a ele muitos homosexuais permanecem confortavelmente em seus armários, e podem até exercer a hipocrisia de condenar os já assumidos.
  • Estereótipo Cool: Mais amplo do que se imagina. É por conta dele que há um preconceito contra pessoas introvertidas, tímidas e discretas (praticamente uma afronta à sociedade moderna).
  • Estereótipo Cult: Acha que não é estereótipo, e para isso tenta não gostar do que a massa gosta, formando um gosto disforme, mas ainda assim clichê entre seu grupo. Mais desgosta do que gosta das coisas, e para tal não precisa ter justificativa.
"Feliz o ser humano que em algum momento célebre de sua vida teve ao menos uma idéia original."
Caco Simeano



* Menção honrosa reversa para crianças que imitam a Lady Gaga.

Um comentário:

  1. Outro post que muito acrescenta à questão, sobre Robert Anton Wilson:

    http://www.nerdssomosnozes.com/2010/08/tornar-se-o-que-se-e.html

    ResponderExcluir

Você é responsável pelo que posta. Com um grande poder vêm grandes responsabilidades. Mesmo assim qualquer material ofensivo, ilegal ou comercial será apagado.