terça-feira, 22 de junho de 2010

Por que andar de carro é uma idiotice?

Vivo numa cidade de 3 milhões de habitantes. E pra boa parte desses habitantes, o sonho de ter um automóvel é uma realização pessoal. OK, ter dinheiro suficiente para adquirir um automóvel é de fato uma realização, ainda mais no meu país, Bananalândia, onde os carros têm o dobro do preço, com metade das funcionalidades, e o povo ganha 1/4 do que um extrangeiro ganharia na mesma função. Bom, não importa... o que vale a pena pensar é que aonde vivo já existem quase 700 mil carros, e que esse número só aumenta. E que entre os meus símios conterrâneos, o desejo de ter um carro é muito maior do que o desejo de ter transporte público de qualidade.

O automóvel dos dias de hoje (2010d.c.) são uma incongruência incrível! Senão vejamos:
  • Um automóvel pesa em torno de 1 tonelada, e na grande maioria dos casos leva somente um passageiro de 80Kg na média.
  • 95% do combustível fóssil gasto por um carro é somente para movimentar a massa do carro.
  • Um motor a combustão precisa de vários subsistemas para se manter funcionando, como refrigeração, lubrificação, sistema de partida, controle de injeção, etc. O motor a combustão é uma máquina complexa, suja, fadada à inúmeras falhas por mais moderna que seja.
  • Um automóvel ocupa uma área em torno de 7m² na rua para movimentar um ser humano que ocupa 0,25m² sentado.
  • Existem 650 mil automóveis na minha cidade (Março de 2010), que ocupam uma área de 4.550 Km².
É muito foda ver que a grande maioria das pessoas acham realmente que resolver seu problema em particular (adquirindo um carro, por exemplo) é o melhor para ele próprio. Lembro de um amigo meu comentando que o carro nunca vai deixar de existir. Será?! Será que a evolução da carruagem é de fato o melhor meio de transporte para o ser humano? (Lembro agora do filme Star Troopers, que mostrava um futuro sem automóveis).

Sim, e ai? O que eu devo desejar ao invés de um carro?

Transporte público de qualidade! Essa é a resposta! Imagine que você possa ter um tipo de transporte rápido, que não pegue congestionamento, seguro, tranquilo (onde você possa fazer alquela leitura que diz que nunca tem tempo), e acima de tudo barato! Estúpido seria não usar!

Há algum tempo (quando eu tinha tempo...) eu fiz um esquema das linhas de metrô para minha cidade. Demorei um dia inteiro analisando uns mapas que tenho, e desenhando as linhas. Gostei tanto do trabalho que publiquei na wikipedia! Vejam imagem abaixo:

Agora veja a cena: Você sai de casa no seu veículo (bicicleta, veículo elétrico, a pé, ou até carro) até a estação mais próxima, estaciona (em um estacionamento subterrâneo, com uma praça em cima, para melhor ocupar os espaços), pega o metrô (subterrâneo, rápido, limpo, e fácil de usar), e em menos de 30 minutos você pode estar próximo de onde quiser. Se a estação de chegada for ainda longe do seu destino, você pode aproveitar para dar aquela caminhada que seu cardiologista há tempos pede pra você dar! É tão ruim assim?!

Tenho outras necessidades que o transporte público não atende. E ai?

É notório que o lazer muitas vezes demande que você tenha um meio de transporte. É comum aonde moro se fazer pequenas viagens ao litoral, coisa que é muito difícil de se fazer com transporte público urbano. Mas para isso existem muitas respostas ao problema:

  • Aluguel de carros: Sim, que tal pagar para usar o carro somente quando realmente precisa dele?! Sabia que eles deixam o carro aonde você precisar? Sabia que por mais caro que você ache que seja alugar um carro, isso é muuuito mais barato do que taxi, ou do que comprar um automóvel próprio? (conheço um cidadão que vendeu o carro e passou 2 anos da vida dele viajando com esse dinheiro!)
  • - Veículos elétricos pequenos: Ai ai... como é ruim nascer na época errada! Meu fascínio por veículos elétricos é tão grande que preciso de um tópico só para ele...

Vale a pena ter um veículo elétrico?

Ainda não, mas vai valer muuuito! O veículo elétrico dos meus sonhos ainda não existe, mas (será o Benedito?!) deve estar muito próximo de sair do papel. Ou as montadoras são muito idiotas em aind a não investir nesse mercado.

Hoje já temos tecnologia suficente para fazer um veículo intermediário entre uma moto e um carro, com as vantagens dos dois:
  • Leve e seguro: Pensando em torno de 400Kg, capaz de levar 2 adultos em um cockpit similar aos dos caças de guerra, em uma estrutura segura contra acidentes, como de um carro de formula um.
  • Elétrico: O motor elétrico já tem mais de 100 anos, e ainda assim é uma maravilha! Não precisa de lubrificação extrema, nem refrigeração, nem quaisquer outros sub-sitemas. E ainda assim consegue dar torque máximo imediatamente, coisa que nem o motor mais esportivo consegue!
  • Barato: 'Encher o tanque' de um elétrico para uma mesma autonomia custa no máximo 10% do valor que seria gasto com combustíveis fósseis. E com tecnologias como freio regenerativo (que transforma a energia de frenagem em energia novamente), o que era econômico fica ainda mais. O valor do automóvel também deve ser algo i ntermediário entre uma moto (R$ 6mil) e um carro (R$ 30 mil).
  • Moderno e esportivo: Como o apelo mercadológico é impotante no mundo capitalista, o produto deve ser vendido como algo esportivo, seguro e moderno. Minha idéia para esse ponto é que fosse um veículo de 3 rodas com tilting, ou seja, que se inclina como uma moto.

Minha família tem mais de 2 membros, como fica?

Essa bobagem de que não compra um carro de só 2 lugares porque não dá para levar todo mundo é só cultural. Afinal, quando inventaram que a carruagem auto-propelida teria 5 lugares, a média familiar era de mais de 10 pessoas por núcleo! Então não é argumento!

E se a industria conseguisse quisesse colocar um veículo de 2 lugares, mas que custasse a metade do preço, bastaria comprar 2 veículos!

Enfim, se você tem que ter um automóvel e ainda não se tocou do quanto gasta com ele, ponha no papel! Reflita e pense: Será que a indúsitria de auto-peças e petrolífera de fato não quer que eu troque meu carro por algo mais simples e mais eficiente, para continuar lucrando?!

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Por que astrologia é bobagem?


Esta semana instalei um novo programa chamado Stellarium (www.stellarium.org - Software Livre para Linux). Trata-se de um guia muito completo de observação estrelar, para uso com ou sem equipamentos de observação. O programa permite ver os astros visíveis em uma dada localização e em uma dada data, ver detalhes dos astros e detalhes das constelações das mais diferentes culturas humanas (astecas, egípcios, chinês, e até tupi-guarani).

A questão que muita gente não compreende é que as constelações são construções humanas. São representações de imagens humanas (animais, coisas) em estrelas ou agrupamento de estrelas que não têm ligação alguma umas com as outras (do ponto de vista da Terra ela estão próximas, mas de fato não estão!). E que cada agrupamento humano 'viu' imagens diferentes nas estrelas, olha que interessante! Aonde um asteca via uma serpente, hoje o ocidental vê Aquário. Se você entende que são construções humanas, deve saber também que o significado de cada coisa também é mero devaneio humano!
Sim, e os planetas?

Marte é um planeta. Quando os antigos começaram a olhar o céu estrelado, viram que algumas 'estrelas' não eram fixas na abóbada celeste. Elas andavam muito rapidamente, e as vezes faziam movimentos espirais no espaço. Chamaram esses astros de planetas, que significa "aquele que vagueia".

O significado de cada planeta também é uma convenção humana. Marte (equivalente grego Ares) foi batizado como o deus da guerra por ser vermelho e por ser rápido. Seu significado astrológico também é da mesma forma; algo que alguém disse: isso é assim e pronto!

Astrologia é uma ciência?


Não! Claro que não! Ciência é tudo aquilo que usa o método científico de análise, ou seja: Precisa ser testado e validado à experimentação, e seus resultados precisam ser iguais em cada experimentação. Como a associação de 'significados' dos movimentos é completamente arbitrária, não há como provar que isso está certo ou não.

Quer dizer que nenhum astro influencia em nada na vida humana?


Somente um astro exerce comprovadamente influência na terra: A Lua! De fato muitos cientistas procuram a relação do período fértil humano com as fases da lua, ambos com 28 dias. Também é lógico lembrar da influência gravitacional nas marés. Porém não se extende muito mais que isso: Essa balela de que cortar cabelo dependendo da lua é a maior lenda urbana (o cabelo cresce a uma taxa média de 1cm por mês, independente da lua). Em mim, a influência do astro ocorre! Em noites de lua cheia dá uma vontade imensa de ir no bar Zé do Mangue tomar umas!

Astrologia de jornal é balela, mas mapa astral funciona, né?

Não. Não serve de nada. Você pode achar que funciona, porque você como ser humano está sempre buscando se classificar em algo. Mas a influência de astros a centenas de anos luz de distância não dita quem você é. Você é uma mistura de genética e educação. Se quer se rotular classificar em alguma coisa, que tal pesquisar sobre eneagrama?

Em um passado remoto o astrólogo e o astronomo eram a mesma pessoa. Mas em algum momento da história, uma parcela dessas pessoas se deu conta de que o universo é grgante, gigantesco! Maior do que qualquer coisa que você possa pensar. E que a posição de astros no céu nem deve se levar em conta, já que a luz daquele astro levou milhares ou milhões de anos viajando até chegar ao seu olho. Provavelmente o astro em questão nem mais lá está, ou pode até nem mais existir!

Se esses atuais astrólogos pegassem uma luneta em uma noite aberta, veriam o tamanho do universo, e talvez se tocassem da irrelevância humana perante o espaço. Como disse Sagan, "somos poeira de estrelas".

domingo, 6 de junho de 2010

Por que Darwin é um dos seres humanos à parte?

Hoje fui ao cinema assistir o filme 'Criação', que mostra a história romantizada de Charles Darwin anos antes da publicação de seu livro 'A Origem das Espécies'. O filme mostra basicamente o conflito de Darwin entre amigos que o incentivavam à publicação do texto e sua esposa, que temia o castigo de deus pela heresia de sua descoberta. Tudo isso temperado pela perda da fé de Darwin após a morte de sua filha primogênita, que no filme é retratada como uma possível sucessora de Darwin nos pensamentos evolucionistas.



Mostrar um Darwin humano, temente à deus, foi uma ótima surpresa! Havia lido num blog amigo uma crítica ao filme por ele se ater pouco à teoria da evolução. Mas isso foi ótimo! Ver que a idéia da evolução teve um parto difícil, longo (foram 10 anos para Darwin ter coragem de publicar) para mim só dá mais valor à força dele em enfrentar o mundo e lançar a semente para a desconstrução do pensamento retrógrado da religião.

Nunca li 'A Origem das Espécies' original, mas terminei semana passada o livro 'O Maior Espetáculo da Terra', do estimado polêmico Richard Dawkins. O livro é, nas palavras do autor, tudo aquilo que Charles Darwin precisaria ler para saber nos dias de hoje até onde sua teoria teria chegado. Dawkins não poupa elogios à Darwin, mostrando que mesmo sem conhecer a genética, Darwin estava corretíssimo quando porpôs a herança de características entre pais e filhos. Se você ainda têm dúvidas a respeito da evolução, leia! Se você não tá afim de encarar 400 páginas de biologia evolutiva, vou relatar em posts futuros os pontos principais do livro.